sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

a Notícia

A notícia chegou aos media. A Portugal. Ao facebook.
Onde eu aliviava o cansaço do dia. De mais um dia. Na banalidade de uma vida insignificante.
Uma amiga, Ana Lúcia Amaral, deixa a notícia. Eu leio e fico em choque.
Procuro a notícia na televisão. E encontro-a na SIC Notícias. 
Mário Crespo, está visivelmente emocionado. A voz do jornalista revela a emoção que tenho a certeza foi o lugar comum dos homens, num mundo que conquistou, que mereceu, que enriqueceu este homem excepcional cujo coração deixara de bater e a mente parara. 
Um nó se forma na minha garganta. Na minha alma.
Saber desaparecida fisicamente uma figura rara e universal reduz qualquer ser normal a uma pequenez tão insignificante que é legítimo perguntarmos o que fazemos neste mundo, o que queremos dele, o que o mundo espera de nós.
Qual a semelhança com seres superiores e de rara grandeza como Nelson Mandela.
E não há comparação possível com uma Humanidade cheia de pequenas vitórias, umas quantas bandeiras de paz, sorrisos fotográficos, apertos de mão entre governantes, negros e brancos unindo-se no quotidiano, ou repartindo a vida e gerando filhos, defensores de igualdade social, poemas de justiça, cânticos de amor e paz. 
Nada feito se compara à grandeza deste homem. 
Completamente triste na certeza do lugar vazio que homens comuns não poderão preencher, profundamente assustada com os destinos de África e do Mundo, deixo as minhas simples palavras de agradecimento a esse gigante ser humano.
Ser raro é uma raridade. Ter a certeza que há um ser raro, é acreditar que o mundo não se perde. E o impossível não existe.
Muito obrigada Madila por provocares em mim o desejo de ser uma pessoa generosa, simples, pura. 
Descansa em paz Guerreiro de Luz.

P.S. Deixo aqui alguns comentários de amigos,( Mário Paiva, João Pessoa e Carlos Nando Marques na minha publicação de ontem do facebook sobre o desaparecimento de Nelson Mandela, por me merecerem destaque. Obrigada pelos comentários.

MARIO PAIVA - …ninguém é eterno, a vida é um ciclo fechado pela morte, mas há os que jamais deixarão a lembrança, tanto dos seus contemporâneos como dos vindouros… e cito Brecht…

“Há homens que lutam um dia, e são bons; 
Há outros que lutam um ano, e são melhores; 
Há aqueles que lutam muitos anos, e são muito bons; 
Porém h
á os que lutam toda a vida 
Estes são os imprescindíveis”

…estes, a história, memória da Humanidade, jamais deixará morrer.
Obrigado, Mandela, por este bocadinho e… até já!

JOÃO PESSOA - MADIBA, OBRIGADO!!!!
«««««««««««««««««««
Nelson Mandela, morreu
e eu,
Curvo-me perante a sua Grandeza!!!

CARLOS NANDO MARQUES - "Nelson Mandela é um Cristo gentil, o mais sorridente dos redentores."


1 comentário:

apenas umas letras disse...

Um homem incrível que vai deixar saudades. kises