quinta-feira, 20 de julho de 2017

domingo, 9 de julho de 2017

já elas...


foto tukayana.blogspot
" O que elas querem é o pincel do João, o pincel do João, o pincel do João..."
Sou eu que não tenho sentido do humor, fiquei ácida, a velhice me apanhou ou isto é do mais rasca que há? 
Cá p' ra mim sendo um país democrata, neste particular, podia ainda assim, por falta de gosto e resvalo para o chinelo, censurar estas porcarias a que alguns chamam letras e na maior demência, poesia, mandando estas criaturas que ganham dinheiro a cantar este lixo, para a reforma agrária, não sei, talvez plantar batatas, pastar caracóis, dar banho ao cão ou pentear macacos, quem sabe...não? 
Não tenho razão? Se calhar não; e vale tudo menos tirar olhos.
" O que elas querem é o pincel do João, o pincel do João, o pincel do João..."
Que elas? Que pincel? Que joão? 
Se eu fosse por aqui abaixo dissecando o tema, isto dava pano para mangas. Neste mundo que os separa, delas. É que o que eles queriam era uma vida santa, a pintar a manta, a pintar a manta. 
Já elas...querem muito mais. Por isso valem o que são. E merecem muito mais que o pincel do joão.

m.c.s.

o seguro morreu de velho

Aquele que devia ser o melhor amigo transforma-se no maior inimigo. E a morte é o preço pago pela entrega e confiança.
O namorado, companheiro, marido é aquele que passa mais tempo connosco. Conhece-nos todos os segredos, fragilidades, manias, humor, afectos, sensibilidades, capacidades - todos os contornos da nossa personalidade. É a pessoa mais íntima. Adormece na nossa cama. Come na nossa mesa e da nossa comida, está presente quando nem sempre queremos presenças e vive na nossa casa. Sempre. O contrário também é verdadeiro, obviamente.
Para além do amor, do respeito e da liberdade individual, duas pessoas que são namoradas, companheiras ou marido e mulher, marido e marido, mulher e mulher, são um casal. Com as características, para não lhe chamar obrigações, que implicam duas pessoas individuais serem um casal. 
Nos últimos dois anos em Portugal, mais de 100 pessoas esqueceram que a outra não era sua propriedade, não podia ser desrespeitada. Consequentemente não pode ser abusada, maltratada, ferida, morta. 
Foram mais de 100 as mulheres mortas às mãos dos carrascos em quem um dia confiaram, a quem amaram e respeitaram. Já hoje em Ponte de Lima uma mulher foi assassinada pelo marido. Não sei de motivos. Não quero saber. Não há. Há sim um assassino em potência em muitas casas portuguesas. Saber quem são é difícil. Às mulheres, às famílias, aos amigos e vizinhos, compete denunciar sinais de violência doméstica. Ao Estado compete proteger as vítimas. 
Não nos vamos fingir de mortos. Nem pôr as mãos no fogo por alguém. É que ninguém pode dizer que desta água não beberei, ou de violência doméstica não morrerei. 
Andam ódios à solta que não são presos nem inibidos de conduzir à morte, gente inocente. E o seguro morreu. Sim. Mas foi de velho.
Deixo duas perguntas no ar, para quem as apanhar - Vale mais só que acompanhado? Alguém saberá dizer se quando não está só está bem acompanhado?

m.c.s.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

quinta-feira, 6 de julho de 2017

na muche e em dia Internacional do Beijo 2017

foto tukayana.blogspot
Em Alfama é assim...

concluindo

Se as pessoas quisessem realmente ser felizes iam à luta cheias 
de paz. 
A felicidade brinda o bom e audaz...

m.c.s

ser

Quando a gente sonha, a gente é. Quando a gente partilha, a gente tem. Quando a gente partilha o sonho, a gente é o que tem.

m.c.s.

grafite em Alfama

foto.tukayana.blogspot

lisboa vista do miradouro da Graça

foto.tukayana.blogspot

feira da Ladra - Sta Clara - Lisboa

foto tukayana.blogspot

a graça que a Graça tem...

foto.tukayana.blogspot

lisboa e o miradouro das Portas de Sol

foto.tukayana.blogspot

lisboa a caminho de sta Clara

fotos.tukayana.blogsot

igreja de São Domingos - Lisboa





fotos.tukayana.blospot

jardim Augusto Gil - Sta Clara - Lisboa

foto tukayana.blogspot

miradouro de Sto Estêvão - Alfama

foto.tukayana.blogspt

lisboa em fotografia

foto tukayana.blogspot