quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Assinalando


Hoje é o dia internacional para a erradicação da pobreza.
Lisboa já não esconde os seus pobres.
Nos principais locais da cidade, paredes meias com o turismo, com os serviços, com o lazer, junto a lojas de marcas de luxo, à porta dos ministérios, ali estão os sem abrigo a que todos se acostumaram.
Mas pobres não são apenas esses.
Cruzamo-nos diariamente com a pobreza descarada, com a moderada e com a envergonhada.
Famílias estão a atravessar grandes privações. 
Pais de família estão apreensivos, alguns desesperados. Os velhos, reformados, as crianças e os jovens estão em dificuldades. De mãos e pés atados.
Os braços de trabalho do país não sabem já o que fazer para sobreviverem e darem o sustento e um presente digno à prol a que pertencem e que depende deles.
A par com a carência e a impotência vive a pobreza de espírito, que cresce à medida que o país empobrece.
Está na hora de todos darmos as mãos. 
Hoje é o da outra rua, do outro bairro, o vizinho, amanhã serei eu, tu...
Está na hora de partilharmos o que sabemos, podemos e temos com quem precisa.
Está na hora de todos conhecermos o significado da palavra caridade.
A pobreza é indigna e o ser humano precisa de dignidade para sobreviver, viver e vencer.
Hoje é o dia internacional para a erradicação da pobreza.
Vamos começar já a vestir a pele digna de cidadão que tendo grandes deveres, tem também direitos.
Um povo pobre, é um povo sem liberdade.
Um povo sem liberdade é um povo manipulável e manipulado. Sonâmbulo. Moribundo.
O poder não pode ser o carrasco.
Ainda temos voz. Vamos então dizer Não à morte deste país.
Está na hora de dizermos BASTA!

2 comentários:

apenas umas letras disse...

olá. como é que se sente? existem os pobres honestos, que pagam as suas contas e mesmo assim vivem com dificuldades, existem os pobres de espírito que levam vida de ricos, que vivem em casas alugadas e que por não terem cabeça, só pensam em carros topos de gama e vai-se a ver e nem sequer casa têm e devem a meio Mundo ( existem muitas pessoas assim em Portugal ). Tenho pena dos honestos e que não devem a ninguém, mas que vivem com alguma dificuldade. A pobreza sempre existiu em Portugal, embora agora existam mais... beijos e as melhoras

Maria Clara disse...

Isto vai indo...parado.
Precisa de tempo e imobilidade. Vamos a ver!
Obrigada,