segunda-feira, 6 de outubro de 2014

o medo

Na noite que o medo abraça,
na esperança de a conquistar
Vejo as lágrimas que chorei,
sonhos que embalei
serem levados para o mar
As lágrimas se vão misturar
ao sal tão precioso
que há-de temperar
o manjar mais saboroso
Os sonhos serão levados 
pela espuma branca da onda 
pela vela a velejar 
e pela corrente dos rios 
que os hão-de salvar 
Rápidos no seu desaguar...
Na noite que o medo abraça 
para se sentir corajoso
Não há nem frio nem sorte, 
nem mantas para me agasalhar
Há desejo de o vencer 
Salvando lágrimas e sonhos
Mergulhados no mar...
Na noite que o medo abraça
Há mistérios a desvendar
Debaixo do negro véu
que a noite não quer guardar
Há a bravura do medo
O mocho surdo e quedo
Há um amanhecer conquistado
Para voltar a sonhar...

m.c.s.

2 comentários:

apenas umas letras disse...

Boa tarde menina. como se sente? adorei o que li :) . tudo o que escreve é mágico. beijos e um abraço. uma boa semana

Maria Clara disse...

Olá Nuno
Estou bem. Desejo que você também.
Obrigada pelas palavras.
Beijinhos